Sharon declara "guerra total contra o terrorismo"

Israel "promoverá uma guerratotal contra o terrorismo, porque com o terrorismo não hácompromisso", disse o primeiro-ministro israelense, ArielSharon, em um discurso à nação neste domingo.No discurso, que durou apenas cinco minutos, Sharondisse tratar-se realmente de "uma guerra" em que Israelatacará implacavelmente os militantes palestinos. "Só então umcessar-fogo será possível", afirmou.Sharon qualificou o líder palestino Yasser Arafat como"o inimigo de Israel e do mundo livre em geral", que conduz acampanha terrorista contra o Estado judeu. "Não podemos assumir compromissos com aqueles que estãoprontos para morrer, apenas para matar inocentes civis". Sharon disse ainda que Arafat é um perigo para aestabilidade do Oriente Médio. O primeiro-ministro israelense disse que Israel tentouchegar a um cessar-fogo, mas que agora concluiu que isto só serápossível depois que "o terror for erradicado". Ele acrescentou que Israel estava num momento crítico desua história, mas não disse quanto tempo durará a ofensivamilitar israelense na Cisjordânia e na Faixa de Gaza. E concluiu: "Por fim, conquistamos uma posição desuperioridade. Ganharemos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.