Sharon dissolve parlamento; eleições serão em janeiro

O primeiro-ministro israelense Ariel Sharon dissolveu hoje o Parlamento do país, e convocou novas eleições para o início do próximo ano. O principal adversário de Sharon para a eleição interna do partido Likud, Benjamin Netanyahu, anunciou em seguida que serviria como ministro das Relações Exteriores no período que resta do governo atual. A Gazeta do Governo, órgão oficial, disse que as eleições ocorrerão em 28 de janeiro, citando o gabinete do porta-voz do Parlamento Gioria Pordes.A situação dramática, precipitada pela saída do Partido Trabalhista do governo e pela incapacidade de Sharon que formar uma nova base estável de apoio, joga Israel numa campanha eleitoral turbulenta num período em que o país enfrenta problemas graves - o conflito violento com os palestinos, que já dura dois anos, uma crise econômica que se agrava e a possibilidade de um ataque iraquiano a Israel, caso os EUA tomem a iniciativa contra Saddam Hussein.Sharon disse ter tomado a decisão com relutância, mas que não teve escolha, porque a alternativa - ceder às exigências políticas de possíveis novos aliados de direita - seria ainda pior. ?Eleições são a última coisa de que o país precisa agora?, disse Sharon, numa entrevista coletiva. Ele criticou seus antigos aliados do Partido Trabalhista e do partido de extrema-direita União Nacional-Israel Beitenu, culpando-os pelo colapso do governo de 20 meses.Nabil Abu Rdeneh, um conselheiro do líder palestino Yasser Arafat, disse ter esperança de que os israelenses venham a escolher um governo diferente. ?O que nos interessa agora é um governo israelense comprometido com o processo de paz, porque o governo atual falhou em alcançar paz e estabilidade para a região?, disse.

Agencia Estado,

05 de novembro de 2002 | 13h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.