Sharon diz que Arafat já poder sair de Ramallah

O primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, admitiu neste domingo que o líder palestino Yasser Arafat prendeu palestinos suspeitos do assassinato de um ministro israelense, cumprindo assim a principal condição para que Israel suspenda um cerco que o tem mantido em seu quartel-general em Ramallah, Cisjordânia, desde dezembro."Pessoas foram presas. Eu exigi a prisão delas", disse Sharon numa reunião com veteranos das Forças Armadas. "Eu tinha dito que depois que eles fossem presos deveríamos deixá-lo sair de lá". "Vejo isso como uma grande vitória para o governo", avaliou Sharon."Uma vez que você alcançou (seu objetivo) você tem de cumprir seus compromissos". Ele não precisou quando Arafat voltará a ter liberdade de movimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.