Sharon fala em plano para desmantelar assentamentos judeus

O primeiro-ministro de Israel, cuja popularidade é cada vez mais baixa por não ter conseguido solucionar o conflito com os palestinos, deixou transparecer neste domingo, segundo interlocutores, planos de incluir uma fronteira e a remoção de alguns assentamentos judaicos. Na reunião semanal de gabinete, Sharon disse continuar comprometido com o roteiro para a paz, que ambiciona o estabelecimento de um Estado palestino soberano e independente até 2005. Mas Sharon explicou que não descarta medidas unilaterais, se fracassarem os esforços para o roteiro para a paz.Segundo uma pesquisa divulgada hoje, mais da metade dos israelenses e dos palestinos apóiam o chamado Acordo de Genebra, uma proposta de paz informal elaborada por negociadores das duas partes em conflito. Enquanto isso, Israel expulsou hoje mais um palestino da Cisjordânia para a Faixa de Gaza. Trata-se do terceiro de uma lista de 18 pessoas elaborada pelo Exército dos Estado judeu. Israel acredita que as expulsões dissuadirão palestinos que planejem promover atentados. A prática é condenada por grupos de defesa dos direitos humanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.