Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Sharon: Jerusalém ficará com Israel

Ariel Sharon, recém-saído de uma vitória eleitoral vista como um veto israelense a mais concessões aos palestinos, prometeu hoje, numa simbólica peregrinação ao Muro das Lamentações judaico, que a disputada cidade de Jerusalém permanecerá eternamente nas mãos de Israel. A promessa de Sharon, feita em sua primeira aparição pública depois de sua esmagadora vitória sobre o primeiro-ministro Ehud Barak, bate de frente com uma exigência-chave palestina - ter controle sobre a Cidade Velha de Jerusalém e seus locais sagrados.Entretanto, assessores de Sharon se apressaram em apresentar o novo líder de Israel como um pragmático com quem os palestinos podem negociar. "Sharon quer a paz", disse um assessor, Raanan Gissin. "Eu certamente acredito que os árabes sabem que não devem conseguir tudo o que buscam, mas será um verdadeiro acordo." Assessores de Sharon sugeriram nesta quarta-feira que - ao contrário de notícias divulgadas durante a campanha - ele estaria disposto a fazer concessões territoriais na Cisjordânia e, mesmo, desmantelar alguns assentamentos.Palestinos têm dito que não irão considerar nenhuma proposta israelense que não chegue às recentes ofertas de Barak - um Estado palestino em virtualmente toda a Cisjordânia e Faixa de Gaza, assim como partes de Jerusalém. Sharon tem descartado totalmente tais concessões e afirma que não iniciará as negociações até que a violência chegue ao fim. Arafat, enquanto isso, está sendo pressionado para não fazer contatos nem negociar com Sharon, amplamente odiado pelos palestinos, que o consideram um opressor cruel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.