Sharon não corre perigo imediato de morte, diz porta-voz

Em meio à crise entre Líbano e Israel, o estado de saúde do ex-primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, em coma desde janeiro, "piorou nos últimos dois dias", informou o porta-voz do hospital Tel Hashomer, de Tel-Aviv, onde ele está internado. Porém, de acordo com outro porta-voz, Sharon não corre "perigo imediato de morte". Os médicos "o acompanham de perto", mas não prevêem nenhum tipo de intervenção cirúrgica imediata, acrescentou. "Nos últimos dois dias, verificou-se uma piora no estado de saúde de Sharon, com uma deterioração no funcionamento dos rins. Um exame do cérebro mostrou uma degeneração do tecido cerebral", informou Orly Levy. Orly Levy disse também que a família Sharon foi informada da piora do seu estado de saúde. Ariel Sharon está em coma desde o início de janeiro, em conseqüência de um derrame cerebral, e seu estado de saúde sempre foi qualificado como "grave, porém estável".IncapacidadeEm 14 de abril, cem dias depois de sua entrada no hospital, foi declarada sua incapacidade para exercer suas funções, de acordo com a legislação do país.Após a internação de Shron, Ehud Olmert foi nomeado primeiro-ministro interino. Depois das eleições legislativas de 28 de março, com a vitória do Kadima, partido criado em novembro de 2005 pelo próprio Sharon, Olmert assumiu o cargo de primeiro-ministro. Um dos políticos mais populares do país, Sharon personificou o poderio militar de Israel durante décadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.