Sharon pede cúpula de paz entre Israel e líderes árabes

O primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, disse que deseja reunir-se com os líderes árabes, em qualquer lugar e sem o estabelecimento de precondições, para discutir a paz no Oriente Médio. Durante discurso no Parlamento, Sharon afirmou que a iniciativa de paz saudita, a qual pediu a retirada do exército israelense dos territórios ocupados em troca do reconhecimento de Israel, possui "elementos positivos". No entanto, Sharon disse que Israel não poderá aceitar os refugiados palestinos. A questão das fronteiras de Israel terá de ser discutida e o país não aceitará as imposições do mundo árabe, afirmou. Sharon é contra a retirada de Israel dos territórios ocupados na guerra de 1967. A proposta saudita foi realizada durante encontro da Liga Árabe, há cerca de duas semanas, e destacou-se por ser a primeira vez em que o mundo árabe esteve unido em torno de uma oferta de paz a Israel. Sharon disse "não haver significado na aceleração da paz sem aceleração de um encontro, conversas e negociações". "Renovo meu pedido para que tal encontro entre mim e os líderes responsáveis e moderados do Oriente Médio. Estou preparado para ir a qualquer lugar, sem qualquer condição dos lados, e falar sobre a paz", disse Sharon. O primeiro-ministro afirmou também que os EUA devem ajudar na concretização do encontro e que discutirá caminhos nesse sentido com o secretário de Estado dos EUA, Colin Powell. Ele reiterou que a paz não deverá acontecer até que os palestinos deixem de cometer atos terroristas contra Israel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.