Sharon vence votação crucial para seu governo

O primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, conseguiu, segundo a mídia israelense, uma importante vitória política que deve garantir sua permanência no poder e a continuidade de seu plano de retirada da Faixa de Gaza. Atendendo ao pedido de Sharon, a maioria dos membros do Comitê Central de seu partido, o direitista Likud, aprovou negociações com o Partido Trabalhista, de centro-esquerda, para a formação de uma nova coalizão de governo. A TV israelense calculou que mais de 70 % dos cerca de 3 mil membros do comitê compareceram à votação, realizada em Tel-Aviv - porcentual elevado, que favoreceu Sharon, deixando os radicais isolados.A votação revogou decisão tomada pelo Comitê em agosto, proibindo a aliança com os trabalhistas. Essa obstrução provinha da ala mais radical do Likud, que não aceita o plano de Sharon de retirar as tropas e colônias da Faixa de Gaza e quatro assentamentos pequenos da Cisjordânia.Os radicais cederam porque a alternativa, como Sharon deixou claro, seria a antecipação das eleições parlamentares previstas para daqui a dois anos. Na semana passada, Sharon expulsou do governo o partido Shinui, por ter votado contra seu projeto orçamentário. Hoje, o governo conta com o apoio de apenas 40 dos 120 membros do Parlamento (a Knesset) e tem sobrevivido a moções de desconfiança graças ao apoio dos trabalhistas e outros partidos de centro ou esquerda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.