Shimon Peres pede punição a culpados pelo Holocausto

O presidente de Israel, Shimon Peres, pediu hoje que os responsáveis pelo Holocausto ainda vivos sejam julgados. Ele falou ao Parlamento da Alemanha, no aniversário da libertação do campo de concentração de Auschwitz.

AE-AP, Agencia Estado

27 de janeiro de 2010 | 14h48

Peres, de 86 anos, disse que "por todo o mundo, sobreviventes do Holocausto estão, gradualmente, deixando o mundo dos vivos". No entanto, ele afirmou que ainda há pessoas vivas que fizeram parte da "mais odiosa atividade na terra, o genocídio". "Meu pedido a vocês é: por favor, façam tudo para levá-los à justiça", disse.

Dois suspeitos na casa dos 80 anos são atualmente julgados na Alemanha: John Demjanjuk, que nega ter sido um guarda do campo de concentração de Sobibor, e Heinrich Boere, que admitiu envolvimento na morte de civis holandeses, quando era membro da SS, organização paramilitar da era nazista.

Promotores alemães tentam abrir vários outros casos. "Isso não é vingança aos nossos olhos. É uma lição educacional", argumentou Peres, o terceiro presidente israelense a falar aos parlamentares alemães.

Entre os presentes para o discurso estavam a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente alemão, Horst Koehler. Peres também falou sobre a preocupação israelense com o Irã, notando que "esse regime é um perigo para o mundo todo". O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, defende um olhar diferente para a história e já recebeu críticas no mundo todo ao questionar o Holocausto.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelShimon PeresHolocaustopunição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.