Shinawatra está novamente por trás de crise

Por trás das manifestações do fim de semana, está o líder da chamada "Frente Unida pela Democracia e contra a Ditadura" (UDD, na sigla em inglês) e ex-primeiro-ministro, Thaksin Shinawatra, acusado de corrupção e deposto em 2006 por um golpe militar. Atualmente exilado, Shinawatra tem forte apoio da população rural, mas é impopular entre a classe média urbana tailandesa. Nos últimos 15 meses, a Tailândia teve quatro premiês. Em dezembro, o grupo rival à UDD, a Aliança Popular pela Democracia, conseguiu derrubar o primeiro-ministro Somchai Wongsawat, aliado de Shinawatra, após ocupar por dois meses os dois aeroportos de Bancoc e o palácio do governo. Com a saída, Abhisit Vejjajiva assumiu o cargo - um "golpe silencioso", segundo a UDD. Além da instabilidade institucional, a Tailândia é o país do Sudeste Asiático mais afetado pela crise financeira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.