Mark Ralston / AFP
Mark Ralston / AFP

Simpatizante de Trump é detido por ameaçar atirar em jornalistas nos EUA

Robert Chain, de 68 anos, efetuou várias ligações ao Boston Globe avisando que cometeria um ataque contra a redação após editorial denunciar ataques do presidente à imprensa

O Estado de S.Paulo

31 Agosto 2018 | 03h56

LOS ANGELES, Estados Unidos - Um simpatizante do presidente americano Donald Trump foi detido na quinta-feira, 30, pela polícia de Los Angeles após fazer uma série de ameaças de morte contra jornalistas do The Boston Globe. Robert Chain, de 68 anos, acusava os repórteres de escrever reportagens "traiçoeiras" contra a Casa Branca. Ele foi liberado pela Justiça horas depois e enfrentará julgamento em setembro.

De acordo com a polícia local, Chain efetuou 14 ligações para a redação do Boston Globe entre os dias 10 e 22 de agosto. A primeira ameaça foi feita após o jornal condenar, em decisão editorial coordenada com mais de 300 veículos, "a guerra suja contra a imprensa" conduzida por Donald Trump. No dia 16, Chain ligou para um funcionário do jornal e ameaçou atirar contra a cabeça de todos os jornalistas que estivessem na redação naquele dia. As autoridades foram acionadas e reforçaram o acesso à empresa.

Chain também teria afirmado que continuaria com as ameaças até o Boston Globe parar com os ataques "traiçoeiros e sediciosos" contra Trump, diz a polícia. O simpatizante dizia que os jornalistas eram "inimigos do povo americano", definição utilizada uma vez pelo presidente americano ao criticar notícias negativas sobre sua gestão.

 

O simpatizante foi preso em sua residência em Los Angeles. No local, a polícia apreendeu mais de vinte armas e centenas de munições. Segundo vizinhos, o homem tinha temperamento explosivo e frequentemente gritava com a televisão enquanto assistia ao noticiário.

Apesar da detenção, Chain foi liberado após sua esposa, que é advogada, apresentar um pedido de habeas corpus a seu favor. De acordo com o juiz Paul Abrams, Chain concordou em entregar seu passaporte e as armas apreendidas para ser liberado. Ele deverá comparecer à corte federal de Boston no dia 24 de setembro para enfrentar julgamento pelo crime de ameaça. Se condenado, poderá enfrentar cinco anos de prisão e uma multa de US$ 250 mil.

Chain e sua esposa não comentaram o caso.

O Boston Globe, por meio de porta-voz, agradeceu os esforços das autoridades locais em localizar o suspeito e garantir a segurança dos jornalistas ameaçados.

Apesar das redações americanas serem alvos frequentes de ameaças, a maioria delas não se concretiza em um ataque. Apesar disso, o caso foi considerado sensível às autoridades americanas devido ao atentado contra o Capital Gazette, um jornal de Annapolis, no Estado de Maryland, que terminou com cinco funcionários mortos. //ASSOCIATED PRESS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.