REUTERS
REUTERS

Simpatizante do Estado Islâmico é acusado de planejar ataque em praia dos EUA

Harlem Suárez, de 23 anos, começou a ser monitorado em abril por discurso extremista nas redes sociais

O Estado de S. Paulo

28 de julho de 2015 | 20h21

MIAMI - Um homem descrito pelo FBI como simpatizante do grupo Estado Islâmico foi acusado nesta terça-feira de planejar um ataque terrorista em uma praia da Flórida.

Harlem Suárez, de Key West, que diz ser integrante do EI, foi acusado de tentativa de uso de arma de destruição em massa nos Estados Unidos. De acordo com as autoridades, Suárez, de 23 anos, começou a chamar atenção da polícia federal em abril por meio de suas publicações online, que elogiavam as ações do Estado Islâmico e continham retórica extremista.

Suárez falou a um informante do FBI que queria construir uma bomba-relógio, enterrá-la na praia de Key West e detoná-la. Ele comprou pregos e outros elementos necessários para fabricar um artefato explosivo que seria colocado em uma mochila e detonado pelo celular.

As autoridades não disseram se Suárez recebeu alguma orientação do Estado Islâmico ou se seria "um lobo solitário". 

Ele foi preso na segunda-feira, após tomar posse de um artefato explosivo falso fornecido por um informante do FBI. /  Associated Press e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.