Simpatizante do ex-presidente Estrada é preso nas Filipinas

A polícia filipina prendeu nesta segunda-feira Ramon Cardenas, que trabalhou no cabinete do ex-presidente Joseph Estrada, e disse que usará o "estado de rebelião" para prender outras pessoas ligadas ao ex-presidente sob acusação de ajudar na rebelião militar deste fim de semana. Neste domingo, após 20 horas, os militares rebelados na capital Manila concordaram em voltar aos quartéis. Na casa de Cardenas, a polícia encontrou rifles, munições e uma braçadeira vermelha, similar as utilizadas pelos militares rebelados. Os advogados de Estrada disseram que o ex-presidente, que está sob custódia por causa do julgamento no qual é acusado de corrupção, não teve nenhum envolvimento com a rebelião militar. A presidente das Filipinas, Gloria Macapagal Arroyo, chegou ao poder em 2001 após um levante popular contra Estrada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.