Carlos Garcia Rawlins/Reuters
Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Simpatizantes de Chávez oram pela saúde do presidente na Venezuela

Líder bolivariano está em Cuba e passa por cirurgia para retirada de células malignas da região da pélvis

estadão.com.br,

11 de dezembro de 2012 | 20h29

CARACAS - Enquanto o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, passa pela cirurgia para retirada de células malignas na região da pélvis, simpatizantes do líder bolivariano foram às ruas em diversos Estados para rezar. Alguns líderes chavistas chegaram a chorar em público.

Durante um ato de campanha em Miranda, o sucessor indicado por Chávez, Nicolás Maduro, e o candidato ao governo do Estado nas eleições regionais deste domingo, Elías Jaua, choraram e juraram lealdade ao presidente venezuelano. "Chávez tem um povo, e terá a nós para sempre nessa batalha, de vitória em vitória", disse Maduro. "Seremos leais a Chávez até depois desta vida."

No Estado de Trujillo, o candidato chavista Henry Rangel Silva organizou uma missa pela saúde do presidente. "Unido, o povo de Trujillo suplica pela cura do presidente Chávez com a nossa fé mais profunda", orou o candidato, que já foi ministro da Defesa. "Atenda ao clamor desses homens e mulheres pela sua cura."

O culto foi realizado no Santuário José Gregório Hernández, médico venezuelano morto em 1919 a quem milagres são atribuídos. Em Falcón, trabalhadores da indústria petroleira, a principal da Venezuela, também rezaram pelo presidente.

De maneira geral, o clima na Venezuela é um misto de surpresa e comoção com o anúncio do líder bolivariano. "O povo está comovido com o anúncio do presidente. O mistério que envolve a doença acostumou as pessoas a receberem as informações a conta-gotas. O discurso de sábado teve um impacto tremendo", disse ao Estado o cientista político Omar Noria, da Univesidade Simón Bolívar. "Os simpatizantes de Chávez estão inundados de tristeza. Os que são críticos a ele foram surpreendidos com a gravidade de suas palavras."

Cirurgia

O governo da Venezuela afirmou, por volta das 20h (horário de Brasília), que o processo cirúrgico continuava. "O presidente Chávez ainda passa pelo processo operatório em Cuba com muito otimismo", disse o Ministro da Comunicação, Ernesto Villegas, lendo um comunicado.

No fim de semana, Chávez anunciou que seria submetido a essa cirurgia, a quarta desde que foi diagnosticado com câncer, o que poderia deixá-lo fora do poder. O presidente "delegou" o poder ao vice, Nicolás Maduro. Eleito em outubro para um quarto mandato presidencial, entre 2013 e 2019, Chávez pode não assumir o cargo, então novas eleições seriam convocadas.

Com informações de Luiz Raatz, de O Estado de S. Paulo, e da AP 

Tudo o que sabemos sobre:
Hugo ChávezVenezuelaNicolás Maduro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.