Simpatizantes de Obrador realizam protestos em estradas do México

Centenas simpatizantes de López Obrador ocuparam neste sábado postos de pedágio de vários pontos do México e permitiram a passagem sem pagamento de veículos como forma de demonstrarem sua "resistência civil pacífica" e exigirem uma nova apuração total dos votos por causa de uma suposta fraude eleitoral.Dezenas de manifestantes invadiram um dos postos de pedágios da estrada que liga a capital mexicana à cidade de Pachuca e proferiram palavras de ordem contra o Tribunal Eleitoral (TEPJF), que amanhã deverá concluir a apuração parcial da votação realizada no dia 2 de julho.A Corte desprezou um pedido do candidato esquerdista AndrésManuel López Obrador de ordenar uma nova apuração total para comprovar, segundo ele, que aconteceu uma fraude que beneficiou o governista Felipe Calderón.O TEPJF, que examina as impugnações apresentadas pelos partidos políticos, tem até o dia 31 de agosto para responder às queixas e até 6 de setembro para apontar o presidente eleito.Outros simpatizantes de López Obrador ocuparam cabines de pedágio de duas estradas que ligam a cidade de Puebla (centro) com a capital do país e o com estado de Veracruz (leste), declararam os líderes do protesto.Vários atos similares aconteceram em estradas de acesso ao porto de Veracruz, um dos mais importantes do país, e na cidade turística de Acapulco (sul), afirmam fontes oficiais.Além disso, militantes de esquerda invadiram o pedágio da estrada que une a cidade de Monterrey (norte) com Nuevo Laredo, fronteiriça com Laredo (EUA), um dia após bloquearem uma das pontes de Ciudad Juárez.Os militantes, que há duas semanas mantêm bloqueada a avenida Paseo de la Reforma, na Cidade do México, impediram o acesso a escritórios federais, bancos e shoppings, e ameaçam ampliar seus protestos "para outras dependências".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.