Sindicato termina greve após chegar a acordo com governo do Panamá

Acordo foi feito após o governo suspender por tempo determinado uma parte da lei que modifica direitos trabalhistas

Efe,

12 de julho de 2010 | 05h44

PANAMÁ - O sindicato de trabalhadores bananeiros de Changuinola, no ocidente do Panamá, concordou nesta segunda-feira, 12, em finalizar a greve que mantinha há 10 dias depois que o governo do país aceitou suspender temporariamente uma parte da polêmica Lei 30 que modifica várias normas trabalhistas.

O acordo assinado após dois dias de diálogo prevê a suspensão de três artigos da lei que restringem direitos sindicais e do exercício de greve até que se chegue a um "acordo nacional" sobre o tema, em um prazo não superior a 90 dias, diz o texto do acordo assinado na noite do domingo, 11, em Changuinola.

O pacto, assinado entre outros pelo vice-presidente, Juan Carlos Varela, e pelo secretário-geral do Sindicato de Trabalhadores do Banana, Genaro Barrett, põe fim a um protesto que derivou em confrontos de trabalhadores com a Polícia desde a quinta-feira passada.

Esses choques deixaram um saldo oficial de dois mortos, cerca de 120 feridos e mais de uma centena de detidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.