Sindicatos prometem greve dos transportes na Argentina

Motoristas de táxi e de transportadoras se uniram aos caminhoneiros para a greve que deve começar na segunda-feira, na Argentina, segundo afirmaram hoje líderes sindicais. Eles dizem que essa poderá ser a primeira greve geral dos transportes no país em muitos anos.

FILIPE DOMINGUES, Agência Estado

18 de março de 2011 | 14h56

Os sindicatos protestam contra a solicitação de autoridades suíças por informações sobre o secretário-geral da Confederação Geral de Trabalho (CGT), Hugo Moyano. O pedido é parte de uma investigação sobre lavagem de dinheiro na Suíça.

A paralisação deve envolver transportadoras terrestres, marítimas e aéreas. A previsão de início da paralisação é às 5h da segunda-feira (horário local), e o fim, às 19h. De acordo com o líder do sindicato de taxistas, Omar Viviani, o objetivo é "defender o movimento sindical argentino".

Em comunicado enviado por e-mail, a Procuradoria-geral Suíça afirmou que ninguém foi nomeado na investigação ainda. A instituição justificou que nem Moyano nem seu filho, que lidera o sindicato de caminhoneiros, está sob investigação na Suíça. A Procuradoria explicou que iniciou a investigação em 24 de janeiro, depois de ser alertada pelo Escritório Suíço de Informação sobre Lavagem de Dinheiro.

A confusão permanece nesta sexta-feira no que diz respeito da exata natureza da solicitação suíça. Tanto as autoridades suíças quanto as argentinas se recusaram a fornecer uma cópia do pedido de investigação. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Argentinagrevetransportesindicatos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.