Sindicatos promovem terça-feira negra na França

Enquanto o presidente Jaques Chirac se desdobra nas reuniões do G-8, a França pára em mais uma rodada de greves lançada pelas organizações sindicais em protesto contra a reforma da previdência proposta pelo governo do primeiro-ministro Jean-Pierre Raffarin, segundo a edição online do "Le Monde".Nos transportes, segundo o jornal francês, 80% dos vôos que chegam e partem da França foram cancelados. Apenas um em cada quatro trens circula. O charmoso metrô parisiense funciona com 50% da capacidade e há paralisação nos transportes públicos de mais de 50 cidades no interior do país.O objetivo dos sindicatos é travar uma guerra contra o governo de Raffarin que, apesar da pouca popularidade e da inquietação pública com as freqüentes greves se mostra incansável na meta de conseguir as reformas. Os sindicatos planejam uma "terça-feira negra" para hoje com a participação, inclusiva, dos trabalhadores do setor público.O projeto de Raffarin pretende aumentar o tempo mínimo de contribuição ao sistema previdenciário para alcançar o benefício entre o funcionalismo público.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.