Sindicatos sofrem atentados com granadas na Venezuela

Granadas explodiram na madrugada de hoje hoje nas sedes da organização patronal Fedecâmaras e da Confederação dos Trabalhadores da Venezuela(CTV, o maior grupo sindical do país).Estes foram os mais recentes ataques anônimos contra organizações opostas ao presidente HugoChávez. O secretário-executivo da CTV, Arturo Moreno, culpou"setores mais radicais do oficialismo" pelos ataques,ocorridos na véspera da abertura da "mesa de negociação" entregoverno e oposição, que debaterão uma possível saída eleitoralpara a crise política.Em resposta, o presidente Hugo Chávez disse que não aceitará "chantagens" nem ultimatos da oposição. A polícia encontrou fragmentos de uma granada do lado de fora do edifício que abriga o sindicato, que conta com um milhão de filiados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.