Siniora critica líder do Hezbollah; medo de violência aumenta

O primeiro-ministro libanês, Fuad Siniora, criticou duramente nesta sexta-feira o Hezbollah, um dia depois de o líder do grupo ter feito duras acusações ao governo apoiado pelos Estados Unidos e prometido eventualmente derrubá-lo. Enquanto isso, um clérigo libanês sunita liderou milhares de manifestantes xiitas antigoverno em prece, em uma mostra de unidade muçulmana.A troca de acusações sem precedente entre Siniora e o líder do Hezbollah, xeque Hassan Nasrallah, aprofundou temores de que a crise política no Líbano pode degenerar em grave violência."O que vimos ontem foi um desnecessário acesso de raiva e grosseria que não aceitamos", afirmou Siniora a centenas de partidários em seu fortemente guardado complexo governamental, onde está cercado desde que a oposição iniciou protestos de rua em 1º de dezembro visando derrubar seu governo.Num inflamado discurso na noite de quinta-feira transmitido em imensos telões no centro de Beirute, Nasrallah acusou Siniora de ter sido conivente com Israel na guerra de um mês do Estado judeu com o Hezbollah em meados deste ano. O xeque acusou membros do governo de terem pedido aos Estados Unidos e a Israel para lançarem a guerra de julho, de modo a liquidar com o Hezbollah e com ele, pessoalmente.Nasrallah também acusou Siniora de ter ordenado ao Exército libanês para impedir a chegada de armas para a guerrilha - seu mais duro ataque contra o premier desde o cessar-fogo de agosto com Israel. "O primeiro-ministro do Líbano não trabalhou para bloquear linhas de suprimento de armas?" questionou. "Esses são os responsáveis pela guerra, não pela resistência".A crise política tem assumido perigosa conotação sectária, com os muçulmanos sunitas no geral apoiando o premier, um sunita, enquanto os xiitas estão em peso ao lado do Hezbollah. Já os cristãos se mostram divididos.Siniora respondeu nesta sexta-feira que Nasrallah tenta dar um golpe de Estado e, animado com o apoio internacional a seu governo, insistiu que não se curvará aos manifestantes. Ato pela união muçulmanaUm clérigo libanês sunita liderou nesta sexta-feira milhares de manifestantes xiitas antigoverno em prece, em uma mostra de unidade muçulmana destinada a acabar com temores de divisões sectárias. A prece reuniu tanto xiitas quanto sunitas.A oposição liderada pelo Hezbollah está, há uma semana, à frente de uma campanha de protestos para derrubar o governo do primeiro-ministro Fouad Siniora, que tem apoio do Ocidente.O Hezbollah, que é xiita, é a força mais poderosa da oposição. Siniora é sunita e seu principal aliado, Saad al-Hariri, líder da maioria parlamentar, também.O chefe do Hezbollah, Hassan Nasrallah, exortou na quinta-feira os simpatizantes a participarem da cerimônia para demonstrar união muçulmana."Não haverá luta entre xiitas e sunitas no Líbano", disse Nasrallah a dezenas de milhares de manifestantes no centro de Beirute, através de transmissão de vídeo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.