Siniora qualifica ofensiva israelense de crime contra humanidade

O primeiro-ministro libanês, Fouad Siniora, qualificou neste domingo de "crime contra a humanidade" a ofensiva militar israelense de mais de 30 dias contra o Líbano, e pediu aos libaneses que se mantenham unidos para reconstruir o país."O que ocorreu foi um crime cometido por Israel a fim de destruir o Líbano", disse Siniora durante uma visita aos bairros do sul de Beirute, reduto do Hezbollah e os mais castigados durante a guerra não-declarada entre o Estado judeu e a milícia xiita.Siniora pediu à imprensa internacional que "mostre os crimes e a barbárie israelense"."O que Israel fez desta vez não foi (uma operação) ´uvas da ira´, mas ´uvas de ódio e rancor", acrescentou o primeiro-ministro libanês em alusão à ofensiva militar israelense de 1996, cujo nome era Uvas da Ira.O premier reiterou que os libaneses vão "reconstruir juntos tudo o que Israel destruiu desde Dahiya (sul de Beirute) até a região sul e leste do país"."Israel não conseguirá atentar contra nossa unidade. Peço aos libaneses que se unam e prossigam a luta pela reconstrução", destacou.A visita de Siniora aos bairros do sul de Beirute foi a primeira a essa região desde a entrada em vigor, no último dia 14, do cessar-fogo entre Israel e Hezbollah, conforme a resolução 1701 do Conselho de Segurança da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.