Síria acelerou destruição de químicos, diz diplomata

O diplomata holandês Sigrid Kaag, que lidera uma missão internacional para desmantelar o programa de armas químicas da Síria, disse nesta terça-feira que o ritmo de remoção de químicos do país está aumentando e que o prazo até o final de junho para a destruição completa do programa ainda é alcançável. Em entrevista, Kaag afirmou que a Síria concordou com um calendário de 60 dias para acelerar e intensificar esforços para remoção dos químicos que serão destruídos no exterior.

AE, Agência Estado

04 de março de 2014 | 12h05

"Nós projetamos muita movimentação no mês de março", disse Kaag após prestar informações ao conselho executivo da Organização para Proibição de Armas Químicas, em uma reunião a portas fechadas. "Mas é claro que a mensagem é sempre de expectativa continuada de alcançar mais, fazer mais e fazê-lo sem perigo e com segurança."

A comunidade internacional almeja remover e destruir 1,3 mil toneladas de químicos. A Síria tem sido criticada pela lentidão da operação, e o Pentágono exortou na semana passada Damasco a acelerar o processo. Kaag disse que até o momento quase um terço do material foi retirado ou destruído dentro do país.

O esforço internacional foi provocado por um ataque com armas químicas em 21 de agosto, que matou centenas de pessoas perto de Damasco e foi atribuído ao governo do presidente sírio, Bashar Assad, que negou envolvimento. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaquímicosdestruiçãodiplomata

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.