Zohra Bensemra/Reuters
Zohra Bensemra/Reuters

Síria admite possibilidade de discutir renúncia de Assad

Obama disse que os EUA reconsiderariam atual contrariedade a um envolvimento militar no país

AE, Agência Estado

21 de agosto de 2012 | 13h34

DAMASCO - Um alto funcionário do governo sírio afirmou nesta terça-feira, 21, em Moscou que Damasco admite a possibilidade de discutir a renúncia de Bashar Assad na busca por uma solução para uma guerra civil iniciada há um ano e meio e que já deixou milhares de mortos.

Veja também:

linkJornalista japonesa é morta na cidade síria de Alepo

linkRússia e China alertam o Ocidente após ameaça de Obama à Síria

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

"Até onde é possível falar desse tema, fazer da renúncia em si uma condição para o diálogo significa que esse diálogo nunca irá acontecer", disse o vice-primeiro-ministro Qadri Jamil durante visita a Moscou. "Mas eventuais problemas podem ser discutidos durante as negociações. Estamos prontos até mesmo para discutir esse assunto", afirmou Jamil, segundo intérpretes russos.

Mais cedo, Jamil havia advertido aos Estados Unidos que não cogitassem a possibilidade de intervir militarmente em seu país. O vice-primeiro-ministro qualificou comentários feitos ontem pelo presidente dos EUA, Barack Obama, como "ameaças propagandísticas" vinculadas à campanha eleitoral norte-americana.

Segundo Jamil, as declarações de Obama são um indício de que o Ocidente estaria apenas em busca de um pretexto para uma intervenção militar na Síria. Na opinião do vice-primeiro-ministro, porém, tal intervenção seria "impossível".

"Aqueles que cogitam essa possibilidade querem evidentemente ver a crise extrapolar as fronteiras sírias", disse ele.

Ontem, Obama disse que os EUA reconsiderariam sua atual contrariedade a um envolvimento militar na Síria se o governo movimentar ou usar armas químicas ou biológicas.

As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.