Síria admite ter armas químicas

A Síria admitiu pela primeira vez em público que possui um arsenal de armas químicas e comprometeu-se a assinar uma convenção internacional que regula esse tipo de armamento. A admissão foi feita pelo ministro sírio das Relações Exteriores, Walid Moallem, em entrevista ao canal árabe de televisão Al-Mayadeen. Ainda segundo ele, Damasco vai parar de produzir essas armas.

AE, Agência Estado

10 de setembro de 2013 | 17h00

O chanceler enfatizou que a Síria cooperará plenamente com a proposta para submeter o arsenal do país a controle internacional feita ontem pela Rússia e que cederá suas instalações de armas químicas a representantes russos, de "outros países" e da Organização das Nações Unidas (ONU).

Esta é a primeira vez que um funcionário de alto escalão do governo sírio confirma a posse de armas químicas pelo país.

"É bem sabido que a Síria possui um certo arsenal de armas químicas, que sempre foi visto pelos sírios como uma alternativa (de resposta) às armas nucleares de Israel", confirmou em Moscou o presidente da Rússia, Vladimir Putin. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Síriaarmas químicasadmissão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.