Síria ajuda Hezbollah a conseguir mísseis, diz jornal

Segundo 'Le Figaro', milícia libanesa tem 40 mil mísseis e conta com 10 mil combatentes

estadão.com.br

26 de outubro de 2010 | 10h58

PARIS - A Síria ajudou a milícia radical libanesa Hezbollah a adquirir cerca de 40 mil mísseis, informa nesta terça-feira, 26, o jornal francês Le Figaro. Segundo o diário, Damasco desempenhou um importante papel na reposição do arsenal do grupo militante após a guerra contra Israel, em 2006.

 

O jornal informa que os EUA observam a suposta aliança entra a Síria e a milícia libanesa desde janeiro deste ano, quando os radares americanos encontraram 26 mísseis M-6002 - de médio alcance - na área entre Damasco e a fronteira da Síria com o Líbano.

 

Segundo o Le Figaro, o Hezbollah conta com aproximadamente 10 mil combatentes. O sistema de transporte de armamentos da milícia é dividido em três unidades. Um transporta armas e munições de Damasco às bases do Hezbollah perto da fronteira do Líbano com a Síria; a segunda leva tal carregamento para dentro do território libanês; e a última lida com o treinamento e a logística de combate.

 

Fotos de satélites tiradas em março do ano passado mostram que o Exército sírio tem uma base militar perto de damasco com mísseis Scud. As imagens também mostram os guerreiros do Hezbollah sendo treinados nesta base, mas o governo sírio nega dar apoio e armamentos à milícia.

 

A reportagem do Le Figaro, que cita funcionários do Ministério da Defesa francês e dos departamentos de inteligência de países ocidentais, mostra como a organização militar do Hezbollah se envolveu na Síria. O Hezbollah, considerado terrorista pelos EUA e por Israel, é apoiado pelo Irã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.