Síria alerta Israel sobre novas marchas nas fronteiras

Jornal controlado pelo governo afirma que cerca de 600 mil refugiados tentarão retomar territórios

Associated Press

07 de junho de 2011 | 16h14

Soldados israelenses reforçam estrutura da fronteira com a Síria

 

DAMASCO - Um jornal controlado pelo governo da Síria afirmou nesta terça-feira, 7, que mais palestinos e sírios planejam marchar até as fronteiras de Israel no futuro e alertou que haverá um dia em que "centenas de milhares de refugiados" retornarão às suas vilas atualmente ocupadas pelos israelenses.

 

A publicação faz referência aos recentes episódios em que houve protestos nas fronteiras de Israel. No domingo, as forças de segurança deste país mataram 23 pessoas que tentaram avançar sobre os limites a partir da Síria, além de ter reprimido manifestações nas zonas próximas aos territórios palestinos.

 

Segundo o Tishreen, as marchas e domingo foram apenas a "introdução" do que ainda virá a acontecer, acrescentando que sírios e palestinos estão determinados a recuperar seus territórios tomados na Guerra dos Seis Dias, em 1967, por meio da resistência. O jornal afirma que Israel deve esperar que até 600 mil refugiados marchem para suas fronteiras "a qualquer momento" para retomar as áreas.

 

As Forças de Defesa de Israel responderam pronta e rigidamente. Em comunicado, afirmaram que transposição de fronteiras "é uma violação de acordos internacionais" e que os militares "operarão conforme o necessário para prevenir a ocorrência de incidentes semelhantes no futuro". "Provocadores que ultrapassarem a cerca de segurança colocam-se em perigo e deve aceitar a responsabilidade de suas ações", afirma a nota.

 

As mortes dos manifestantes no domingo gerou novos focos de tensões entre palestinos, sírios e israelenses. No domingo e na segunda ouve confrontos entre facções de refugiados palestinos na Síria, como a radical Frente Popular pela Libertação da Palestina. Na segunda, policiais impediram a realização de novos protestos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.