Rodrigo Abd/AP
Rodrigo Abd/AP

Síria colocou minas nas fronteiras com Líbano e Turquia, diz ONG

Minas, que já deixaram vários civis feridos, foram colocadas nas últimas semanas e meses

Efe,

13 de março de 2012 | 08h00

MADRI - O regime sírio instalou minas terrestres junto a suas fronteiras com o Líbano e a Turquia, as principais vias utilizadas pelos refugiados para escapar da violência, revelou nesta terça-feira, 13, a ONG Human Rights Watch (HRW).

Veja também:
especialMAPA: 
A revolta que abalou o Oriente Médio
mais imagens OLHAR SOBRE O MUNDO: Imagens da revolução
tabela ESPECIAL: Um ano de Primavera Árabe 

As minas, que já deixaram vários civis feridos, foram colocadas nas últimas semanas e meses, segundo um comunicado divulgado pela organização pró direitos humanos, que cita diversas testemunhas e especialistas sírios em desarmar estes explosivos.

Este tipo de armamento, afirma a ONG em seu site, é "militarmente ineficaz" e "mata e fere civis" majoritariamente.

Mais de 7,5 mil pessoas, muitas delas mulheres e crianças, morreram na Síria desde o início das revoltas contra o regime de Bashar al-Assad, há um ano, segundo a ONU, cujo esforço mediador não conseguiu, até o momento, deter a espiral de violência no país.

Segundo a ONG, as minas de origem russa devem ser desinstaladas por especialistas em colaboração com a oposição.

"Qualquer uso de minas é imoral e injusto", afirma Steve Goose, diretor da divisão de armamento da HRW, para quem é "absolutamente injustificável o uso indiscriminado destas armas por qualquer país, em qualquer lugar e sob qualquer motivo".

Segundo a HRW, a Síria é o quarto Governo do mundo que usou minas desde janeiro de 2011, atrás de Israel, Mianmar e Líbia. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Primavera ÁrabeSíriabombaAssad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.