Síria critica "pressa" dos EUA em atacar Iraque

A rádio estatal síria criticou a pressa dos Estados Unidos para iniciar uma guerra contra o Iraque, avisando que o Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU) não aceitará uma "nova guerra injusta" contra Bagdá. A Rádio Damasco, que reflete a opinião do governo local, disse que os Estados Unidos "estão fazendo tanto barulho e tantas ameaças simplesmente porque não possuem nenhuma evidência" de que o Iraque está em "flagrante violação" da resolução 1441 do CS da ONU, que pede a Bagdá que prove ter desmantelado suas armas de destruição em massa. A Síria é o único país árabe entre os 15 membros do Conselho de Segurança e apoiou a resolução que levou ao retorno dos inspetores de armas da ONU a Bagdá pela primeira vez, desde 1998. Porém, Damasco avisa que não apoiará uma ação militar unilateral dos EUA contra o Iraque. Em Berlim, o governo alemão manifestou hoje suas reservas com relação à dura reação norte-americana ao relatório inicial dos inspetores de armas das Nações Unidas. Para a Alemanha, todos os esforços devem ser feitos para evitar que os Estados Unidos vão à guerra com o Iraque. O ministro alemão da Defesa, Peter Struck, acredita que o Iraque merece a chance "de reapresentar quaisquer informações ausentes do relatório, ou apresentadas parcialmente". Em declaração à rádio Deutschlandfunk, lembrou que "todos devem ter em mente que uma guerra no Iraque custará muitas vidas, entre elas as vidas de soldados norte-americanos ou aliados". Para ele, o objetivo de todos os envolvidos nas discussões deveria ser evitar uma guerra como esta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.