Síria diz que aceita retomar busca de paz com Israel

A Síria está disposta a retomar as conversações indiretas de paz com o novo governo de Israel, desde que o eixo do processo esteja na retirada total das tropas israelenses das Colinas de Golã, disse hoje o ministro das Relações Exteriores da Síria. O desacordo sobre a retirada de Israel do território sírio, capturado na Guerra dos Seis Dias em 1967, arruinou as tentativas anteriores de chegar à paz, incluídas conversações mediadas pela Turquia no ano passado.

AE-AP, Agencia Estado

08 de abril de 2009 | 17h54

O novo primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e seu chanceler, Avigdor Lieberman, disseram não estar dispostos a ceder nenhum território que a Síria queira. Questionado pelos repórteres sobre qual base a Síria estaria disposta a renegociar, o chanceler Walid al-Moallem disse que a agenda precisa incluir discussões a respeito de uma retirada total de Israel das Colinas de Golã.

Segundo o chanceler sírio, se as conversações forem retomadas, Israel precisa se comprometer antes a que elas não afetem o processo de paz entre o Estado judeu e os palestinos, e também se comprometer a não atacar a Faixa de Gaza e o Líbano, dois locais onde militantes contrários a Israel atuam.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaIsraeldiplomacia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.