Síria diz que não precisa de ajuda da Jordânia contra Estado Islâmico

Chanceler Walid Al-Moallem disse que o governo sírio é 'capaz de lutar contra o Daesh sem a ajuda de ninguém'

O Estado de S. Paulo

09 de fevereiro de 2015 | 15h08

O ministro de Relações Exteriores da Síria, Walid Al-Moallem, criticou nesta segunda-feira, 9, a Jordânia, afirmando que seu país não precisa da ajuda do vizinho na batalha contra o grupo extremista Estado Islâmico.

A Jordânia faz parte da coalizão militar liderada pelos Estados Unidos responsável pelos ataques aéreos contra os extremistas. Recentemente, eles intensificaram os ataques em resposta ao assassinato de um piloto jordaniano feito refém pelos jihadistas e queimado vivo.

"Nós não deixaremos que ninguém viole nossa soberania nacional e não precisamos de nenhuma força terrestre estrangeira para combater o Daesh", afirmou Al-Moallem, usando a sigla em árabe usado para designar os jihadistas. "O governo sírio é completamente capaz de lutar contra o Daesh sem a ajuda de ninguém"

O ministro sírio também acusou o país vizinho de permitir que "terroristas", termo usado pelo governo de Bashar Assad para designar todos que pretendem derrubá-lo do poder, cruzem à fronteira em direção à Síria após treinarem em acampamentos da guerrilha supervisionados pela CIA. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaJordâniaWalid Al-Moallem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.