Síria e Líbano vão estabelecer relações diplomáticas

A conselheira do presidente sírio Bashar Assad, Buthaina Shaaban, informou hoje que os líderes da Síria e do Líbano concordaram em estabelecer relações diplomáticas plenas entre os dois países. A decisão foi tomada em reunião em Damasco, durante visita oficial de dois dias do presidente do Líbano, Michel Suleiman, à Síria. Os dois países não têm relações diplomáticas plenas desde que obtiveram a independência da França, na década de 1940.A visita de Suleiman a Damasco é a primeira de um chefe de Estado libanês à Síria desde 2005, quando, sob pressão internacional, a Síria retirou suas tropas do Líbano. Na época a relação entre os dois países já estava estremecida, após o assassinato do ex-premiê libanês Rafik al-Hariri. A coalizão do governo libanês, apoiada pelo Ocidente, acusou a Síria de ter maquinado o assassinato de Hariri - a Síria sempre negou as acusações.Assad havia dito que o estabelecimento de relações diplomáticas plenas com o Líbano seria possível a partir do momento que houvesse a formação de um governo de unidade nacional no Líbano, o que ocorreu neste ano, após um prolongado impasse político, que resultou na eleição de Suleiman para presidente.A mídia estatal síria elogiou a visita de Suleiman, dizendo que ela colocará de volta nos eixos a relação entre os dois países. O jornal Tishrin disse que a visita "lança as fundações para uma nova fase de relações fraternas". A visita, no entanto, coincidiu com mais um ato de violência no Líbano: um atentado que aconteceu hoje em Tripoli e deixou 18 pessoas mortas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.