Síria está em guerra civil e mortos chegam a 4 mil, diz ONU

A Síria vive um estado de guerra civil, com mais de 4 mil mortos e um número cada vez maior de soldados pegando em armas contra o governo do presidente Bashar al-Assad, afirmou a principal autoridade para direitos humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta quinta-feira.

STE, REUTERS

01 de dezembro de 2011 | 16h47

"Estamos estimando o número em 4 mil, mas as informações confiáveis que nos chegam são de que é muito mais do que isso", disse a Alta Comissária para Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay, em uma entrevista coletiva.

"Eu havia dito que, assim que houvesse mais e mais desertores ameaçando tomar as armas - eu disse isso em agosto ante o Conselho de Segurança --, haveria uma guerra civil. Nesse momento, é assim que eu defino isso", afirmou ela.

O Conselho de Direitos Humanos da ONU terá uma sessão de emergência na sexta-feira, depois de um relatório feito por uma comissão de inquérito independente da ONU que disse que as forças sírias cometeram crimes contra a humanidade, incluindo execuções, tortura e estupro.

"Pretendo somar a minha voz ao achado da comissão de inquérito com relação às evidências apontando para a execução de crimes contra a humanidade", afirmou Pillay, uma ex-juíza para crimes de guerra da ONU que conduzirá a sessão de um dia em Genebra.

Pillay observou que em agosto ela pedira que o Conselho de Segurança indicasse a Síria para o promotor do Tribunal Penal Internacional (TPI) por supostos crimes contra a humanidade.

"Na minha opinião, baseada no nosso monitoramento da situação, é preciso que os perpetradores sejam processados no mais alto nível por crimes contra a humanidade", afirmou ela nesta quinta-feira.

A Liga Árabe colocou personalidades sírias em uma lista negra de viagens nesta quinta-feira e chanceleres da União Europeia deixaram pronto um projeto para impor sanções econômicas contra Assad, a fim de pressioná-lo a encerrar a repressão militar contra os protestos militares, que já duram oito meses.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUSIRIAGUERRACIVIL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.