Síria está instalando minas na fronteira com o Líbano

A Síria está instalando minas terrestres em alguns pontos de sua fronteira com o Líbano, na medida em que refugiados fogem para o país vizinho para escapar da repressão contra os manifestantes que se opõem ao presidente sírio Bashar Assad, segundo informações de funcionários e testemunhas.

AE, Agência Estado

01 de novembro de 2011 | 13h42

Um homem sírio que teve o pé amputado após pisar numa mina nas proximidades a vila libanesa de Irsal, no domingo, foi a primeira vítima conhecida das minas instaladas, segundo um médico de um hospital líbio para onde o homem foi levado.

Ele pediu que seu nome não fosse publicado por temer a repercussão do caso, em razão da sensibilidade da questão.

A fuga de sírios para os vizinhos Líbano e Turquia se transformou num constrangimento para o presidente Bashar Assad, que afirmou no final de semana que o Oriente Médio vai queimar se potências estrangeiras tentarem intervir no conflito interno sírio.

Um funcionário sírio, que tem informações sobre a estratégia do governo, afirmou que minas antipessoais têm como objetivo impedir o contrabando de armas para a Síria. A fonte falou em condição de anonimato por causa da sensibilidade do assunto. Testemunhas do lado libanês também disseram ter visto soldados sírios plantando minas nos últimos dias em duas partes do território sírio: na província rebelde de Homns e do outro lado da na região líbia de Baalbek, no leste do país.

"A Síria tem tomado várias medidas para controlar suas fronteiras, dentre elas a instalação de minas", disse o funcionário sírio.

Os moradores da vila de Serhaniyeh, na fronteira libanesa, mostraram à Associated Press uma longa duna de areia ao longo da fronteira que, segundo eles, é o local onde os soldados sírios enterraram as minas.

Ahmed Diab, de 26 anos, disse que vários caminhões com cerca de 100 soldados chegaram à região na quinta-feira e passaram o dia inteiro instalando minas ao lado das barreiras que marcam o caminho para o Líbano.

"Desde que eles plantaram as minas, ninguém se atreve a ir para a linha de fronteira", disse Diab, sentado em sua motocicleta perto de sua casa, de onde se pode ver parte da província síria de Homs, onde os piores episódios de violência ocorreram desde o início do levante.

Muitos sírios cruzaram a fronteira com o Líbano, alguns deles para fugir da violência. E as minas são mais um sinal de que a Síria está trabalhando para evitar que o Líbano se torne um reduto para a oposição síria. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Siriaviolênciaminas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.