Síria inicia ano sob ataques aéreos em Damasco

Os sírios amanheceram sob ataques aéreos próximos à capital Damasco e com o aeroporto de Aleppo fechado por rebeldes no primeiro dia de 2013, horas após centenas de manifestantes terem pedirem pelas ruas a destituição do regime. O novo dia de conflitos seguiu-se à descoberta por ativistas de dezenas de corpos mutilados, mais um sinal da crueldade desses 21 meses de conflito.

EQUIPE AE, Agência Estado

01 de janeiro de 2013 | 19h42

Aviões bombardearam o subúrbio de Damasco, numa tentativa de afastar os rebeldes, e tropas atacaram insurgentes na estrada do aeroporto de Damasco. O Observatório Sirio de Direitos Humanos disse que os ataques ocorreram em meio a um intenso conflito ao longo da rodovia, deixando 13 mortos na região de Damasco, de um total de 43 mortos hoje no país.

Analistas dizem que o exército quer assumir o controle total de Damasco e dos arredores para criar as condições necessárias para um diálogo futuro, o qual o primeiro-ministro Wael al-Halaqi disse estar aberto.

No norte da Síria, onde insurgentes têm o controle de faixas territoriais, autoridades anunciaram o fechamento do aeroporto de Aleppo após ataques de rebeldes.

"Tem havido contínuas tentativas dos militantes de oposição de atingir aeronaves civis, o que poderia causar um desastre humanitário", disse uma autoridade do aeroporto à agência de notícias AFP.

Segundo ele, o aeroporto ficará fechado por pouco tempo, enquanto o exército tenta reaver o controle de áreas no entorno que estão sob o controle de rebeldes. O observatório reportou que o fechamento ocorreu após uma explosão, provavelmente de uma bomba atirada por um rebelde, que atingiu uma aeronave civil durante a decolagem no sábado.

O observatório informou também que 30 corpos foram encontrados no distrito de Barzeh ontem, mas a Comissão Geral da Revolução Síria afirma terem sido 50. De acordo com a comissão, muitos dos corpos foram encontrados sem suas cabeças e desfigurados ao ponto de não ser mais possível que sejam reconhecidos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.