Síria: Inspetores da ONU precisarão de tréguas pontuais

Os inspetores da Organização das Nações Unidas (ONU) enviados à Síria com a missão de destruir os arsenais químicos do país precisarão negociar tréguas pontuais entre as forças do governo e os rebeldes para obter acesso a algumas instalações, disseram hoje em Haia fontes ligadas às inspeções.

AE, Agência Estado

09 de outubro de 2013 | 12h05

A revelação é um claro indicador dos riscos do ambicioso plano de desarmamento e sugere que os inspetores de armas da ONU terão dificuldades para cumprir a meta, estipulada em resolução do Conselho de Segurança (CS), de erradicar as armas químicas sírias até meados de 2014.

A destruição dos arsenais é conduzida em conjunto pela ONU e pela Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq).

A jornalistas, o diretor-geral da Opaq, Ahmet Uzumcu, admitiu nesta quarta-feira que o prazo é apertado, mas não "irreal". Os inspetores, segundo ele, visitarão mais de 20 instalações nas próximas semanas.

Desde o início da missão, na semana passada, apenas uma instalação foi visitada. A expectativa é de que um segundo local próximo de Damasco seja inspecionado ainda hoje. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.