Síria: insurgentes anunciam nova frente e fim da trégua

Ativistas sírios anunciaram nesta segunda-feira a criação de uma nova coalizão de grupos opositores para superar as profundas diferenças internas na luta contra as tropas do presidente Bashar Assad. O grupo foi chamado de Frente dos Rebeldes da Síria. Khaled al-Okla, um dos organizadores, disse que a frente irá coordenar suas ações com o Exército Livre da Síria, uma coalizão de forças cujos líderes nominais estão estabelecidos do lado turco da fronteira. Insurgentes sírios também disseram que não estão mais comprometidos com o cessar-fogo negociado pelo ex-secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Kofi Annan, que deveria estar em vigor desde 12 de abril.

AE, Agência Estado

04 de junho de 2012 | 17h47

Enquanto isso, prosseguiam os confrontos na Síria. Combates entre forças do regime sírio e rebeldes na província de Idlib ocorridos durante a madrugada desta segunda-feira deixaram dois opositores mortos, além de outras duas pessoas que morreram na região de Damasco nesta segunda-feira, informou o Observatório Sírio pelos Direitos Humanos, grupo sediado em Londres.

No domingo, 46 pessoas forram mortas, dentre elas 19 civis, 19 soldados e 8 rebeldes. Segundo o Observatório, 2.400 das mais de 13.500 vítimas da repressão ao governo de Bashar Assad morreram desde o cessar-fogo, iniciado em 12 de abril.

No sábado foram 89 mortos, incluindo 57 soldados, o maior número de mortes militares num único diz deste o início do levante, afirmou o Observatório.

O levante, que já dura 15 meses, se espalhou pelo Líbano, onde confrontos entre homens pró e contra o regime sírio na cidade de Trípoli deixaram 14 mortos no final de semana, informou um oficial de segurança libanês.

As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.