Síria: Oposição acusa governo de perpetrar massacre

O principal grupo de oposição ao presidente Bashar Assad acusou o governo sírio de perpetrar um "massacre em larga escala" em um povoado sunita perto da costa mediterrânea. Segundo os ativistas de oposição ao governo, pelo menos 50 pessoas foram mortas a tiros, facadas e golpes de objetos pesados em Bayda.

AE, Agência Estado

03 de maio de 2013 | 13h05

Bayda é uma cidade sunita próxima da cidade costeira de Banias. O movimento rebelde sírio é dominado pelos sunitas. Bayda, no entanto, fica no coração da comunidade alawita, uma facção do xiismo que compõe a espinha dorsal do governo sírio.

Um vídeo amador supostamente feito depois da matança mostra os corpos de pelo menos sete homens e meninos sobre poças de sangue em frente de uma casa enquanto mulheres choram ao redor deles.

O massacre teria ocorrido ontem, segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, grupo de oposição com sede em Londres.

Ontem à noite, a agência estatal de notícias da Síria informou que o exército promoveu uma incursão em Bayda. Segundo o despacho, diversos "terroristas" morreram e metralhadores foram apreendidas, assim como fuzis e outras armas.

A guerra civil síria vem ganhando tom sectário nas últimas semanas. Grupos sunitas e xiitas têm protagonizado confrontos perto da fronteira com o Líbano ao mesmo tempo em que grupos extremistas islâmicos que lutam ao lado dos rebeldes injetam fervor radical no conflito. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.