Síria promete que trégua será cumprida até dia 10, diz Annan

Mediador da ONU afirma que recebeu carta com garantias de que Damasco cumprirá sua parte no acordo de paz

GUSTAVO CHACRA, CORRESPONDENTE / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

03 de abril de 2012 | 03h02

Em depoimento ao Conselho de Segurança da ONU, Kofi Annan, ex-secretário-geral da entidade e mediador do conflito na Síria, afirmou ontem que o líder sírio, Bashar Assad, concordou com a conclusão de um cessar-fogo até o dia 10.

"Annan disse ter recebido uma carta do chanceler da Síria afirmando que as Forças Armadas do país começarão a retirada das tropas e a suspensão do uso de armas pesadas em áreas populosas imediatamente, com conclusão prevista para o dia 10", declarou a embaixadora dos EUA na ONU, Susan Rice.

Em seguida, ela disse que estava cética quanto à possibilidade de Assad realmente adotar o plano de Annan. A proposta prevê o cessar-fogo, a libertação de presos, uma trégua diária de duas horas para ajuda humanitária e respeito à liberdade de manifestações.

Uma missão de 250 pessoas seria enviada ao país para monitorar o acordo. Há duas semanas, o Conselho de Segurança aprovou uma declaração presidencial apoiando o plano de Annan, que foi negociado diretamente com Assad em Damasco.

Intervenção. Apesar disso, segundo o próprio mediador, não ocorreram avanços na adoção do plano. A violência prosseguiu. No fim de semana, cerca de 70 pessoas morreram.

Assad terá agora 48 horas - a partir do dia 10 - para provar que está cumprindo o acordado com Annan. Não ficou claro qual seria a punição para o regime sírio caso o ditador não adote o cessar-fogo, que também deverá ser cumprido pela oposição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.