Síria publica projeto de lei para realizar eleições

Rascunho está de acordo com 'as melhores leis eleitorais do mundo', diz vice--ministro da Justiça

estadão.com.br

30 de maio de 2011 | 18h11

DAMASCO - As autoridades da Síria publicaram nesta segunda-feira, 30, um novo rascunho de uma lei que convoca eleições no país, uma manobra aparentemente executada para atenuar as tensões políticas vividas há semanas, informa a agência russa RIA Novosti.

 

Veja também:

especialMapa: A revolução que abalou o Oriente Árabe

 

 
O vice-ministro da Justiça, Najm al-Ahmad, que chefiou a comissão que elaborou o rascunho, disse mais cedo que a lei seria "similar às melhores leis eleitorais do mundo". O documento foi publicado em vários sites oficiais e será discutido e emendado à Constituição devidamente, afirmam tais páginas.

 

Os protestos contra o governo do presidente Bashar al-Assad começaram em março e continuam a ocorrer até agora, apesar da dura repressão ordenada pelas autoridades. Os manifestantes demandam maiores liberdades políticas e reformar na gestão do presidente sírio, que está no poder há mais de uma década.

 

De acordo com números passados pelo governo, mais de 120 policiais e soldados foram mortos durante a revolta. Ativistas e organizações e direitos humanos, por sua vez, dizem que o número de mortos, incluindo civis, já passa de mil. Não é possível verificar o total dos óbitos devido ao rígido controle exercido pelo governo sobre as atividades da imprensa no país.

 

O governo culpa grupos armados extremistas que tentam tomar o poder no país pelas revoltas. Os manifestantes dizem que não vão interromper as marchas enquanto não houver mudanças no regime, considerado um dos mais autoritários do Oriente Médio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.