Síria: rebeldes usaram ataque para provocar intervenção

O embaixador da Síria na Organização das Nações Unidas (ONU), Bashar al-Jaafari, acusou as forças rebeldes de usar armas químicas para levar os poderes internacionais a adotar uma ação militar contra o governo sírio.

Agência Estado

28 de agosto de 2013 | 08h53

"Muitos fatores tendem a provar a inocência do governo sírio, que tem sofrido falsas acusações", disse Al-Jaafari à imprensa estatal. Segundo ele, esses fatos mostraram também que "grupos armados usaram armas químicas a fim de provocar uma intervenção militar e agressão contra a Síria".

O Ocidente e a Turquia "permitiram que grupos terroristas criassem um laboratório de armas químicas no território turco com materiais fornecidos pela Turquia, Arábia Saudita e Qatar e trouxessem essas armas químicas para serem usadas na Síria", afirmou o embaixador.

Os EUA disseram que estão prontos para adotar uma possível ação militar contra a Síria em resposta aos ataques com armas químicas reportados na semana passada que provocaram a morte de mais de 300 pessoas nos arredores de Damasco.

Junto com o Reino Unido, os EUA afirmam que "não há dúvidas" que o regime realizou os ataques contras áreas dominadas por rebeldes, visto que é o único lado capaz de fazer isso. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaarmas químicasenviado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.