Síria refuta pedido de Obama para saída de Assad

O governo sírio rejeitou, neste sábado, os pedidos do presidente dos EUA, Barack Obama, e de chefes de governos europeus para que o presidente Bashar Assad renuncie, informando pelo jornal oficial Al-Thawra que eles revelaram a "face da conspiração" contra Damasco. Embora o regime de Assad tivesse anunciado nesta semana o fim da ofensiva militar contra grupos subversivos, ativistas informaram que forças sírias de segurança mataram 29 pessoas na sexta-feira, a maioria delas na província de Homs.

AE, Agência Estado

20 de agosto de 2011 | 10h11

O líder sírio tem sido alvo de críticas pela forma como tem tentado sufocar cinco meses de revoltas contra o seu governo. Os EUA e seus aliados europeus exigiram, na quinta-feira, a renúncia de Assad, por causa da repressão, que já teria assassinado mais de 2 mil pessoas, segundo organizações de defesa dos direitos humanos.

Reforços estavam sendo enviados neste sábado para Homs, a terceira maior cidade da Síria e um dos epicentros dos intensos protestos contra o regime, de acordo com Rami Abdul-Rahman, chefe do Observatório Sírio para Direitos Humanos em Londres e do Comitê de Coordenação Local, um grupo ativista. "O tiroteio não parou desde a noite passada", afirmou. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaconflitosprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.