Síria usa armas químicas em ataques e deixa 40 feridos, segundo ativistas

Helicópteros do governo sírio atacaram duas cidades no noroeste do país na noite da sexta-feira. Suspeita-se que as aeronaves tenham lançado gás clorino, um tipo de arma química, contra os alvos. Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, rede de ativistas baseada em Londres, ao menos 40 pessoas ficaram feridas e uma criança morreu durante os ataques.

Estadão Conteúdo

02 de maio de 2015 | 13h05

Em Saraqeb, na província de Idlib, vídeos mostram médicos e habitantes correndo para um hospital local e tossindo, com algumas das vítimas apresentando dificuldade para respirar. Em Nareb, outra cidade em que grupos insurgentes têm ganhado espaço nos últimos dias, um médico teve de receber oxigênio após resgatar cidadãos. Os incidentes não foram reportados pela mídia estatal.

Neste sábado, rebeldes sírios atacaram distritos controlados pelo governo na cidade de Aleppo, deixando 22 civis mortos e outros 45 feridos. O ataque aparentemente foi uma retaliação pela morte de um líder rebelde no dia anterior, segundo a rede de TV estatal do país. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.