Sirven chega a Paris

Depois de permanecer mais de três anos foragido e passar por muitas aventuras, inclusive uma escala inesperada de três dias na Alemanha, finalmente o homem mais procurado pela Justiça francesa, Alfred Sirven. Ele desembarcou nesta terça-feira, às 19h43 locais, em Paris, na base militar de Vilacoublay, onde era esperado por um impressionante dispositivo policial para evitar a aproximação de numerosos jornalistas.Depois de ser interrogado pela primeira vez pela juíza Eva Joly, ele foi encaminhado para o presídio de La Santé. Nesta quarta-feira, deverá comparecer ao Tribunal Correcional, onde será ouvido no processo ao lado dos demais indiciados, entre eles o ex-chanceler Roland Dumas."Todos estão sob meu controle. Se quiser, posso explodir 20 vezes a república", afirmou confiante Sirven, ex-número 2 do grupo petrolífero Elf, quando a Justiça francesa começou a se interessar por suas contas bancárias na Suíça, uma movimentação que alcançou um valor estimado em US$ 500 milhões.Ele vai ter de explicar-se sobre esses movimentos bancários suspeitos e sobre o destino da metade desse montante, US$ 250 milhões desviados do caixa da empresa - que, na década de 90, ainda pertencia ao Estado francês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.