Sistema de cartão de crédito "explode" na França

O sistema informatizado que regulamentapagamentos com cartões de crédito, saturado pelas compras deNatal, "explodiu" no sábado passado na França e causouprejuízos para os comerciantes, sobretudo lojistas. O consumidor parisiense se surpreendeu com a demora paraefetuar pagamentos com cartão de crédito. Os pedidos deautorização para pagamentos normalmente não demoram mais do quealguns segundos. A saturação do sistema, porém, obrigou oconsumidor a esperar entre dez e quinze minutos, o que provocoufilas e irritação. Diante de tais dificuldades, muitos clientesoptaram por pagar com dinheiro líquido ou cheques. Um dosadministradores do GIE, grupo interbancário que administra oscartões de crédito, prefere falar em pane do computador num diade muitas transações.Euro - Os comerciantes europeus temem que o fato possa se repetir nospróximos dias, quando o euro entrar em circulação. Trata-se deuma preocupação para os 300 milhões de habitantes de doze dosquinze países da União Européia que se preparam para adotar oeuro como moeda única no próximo dia primeiro de janeiro.Espera-se um aumento de 30% nos pagamentos em euros, o que podeprovocar nova saturação do sistema. A rede informatizada de cartões de crédito trata 12 milhões detransações por dia e tem capacidade para suportar um pico demais 15%, mas não um aumento repentino de 30%, que deve ocorrera partir de primeiro de janeiro. Greve - As autoridades responsáveispela implantação da nova moeda esperam problemas deabastecimento em relação aos distribuidores de euros. Aanunciada greve dos bancários também pode contribuir para novapane no sistema.Segundo um dos administradores do GIE, Yves Randoux, entre 20e 40 mil máquinas não vão estar adaptadas ao euro no início desua circulação. O mesmo deve acontecer com os terminais dospequenos comerciantes, que só deverão ser modificados a partirde 2 de janeiro.O cartão de crédito deverá ser, nas próximas semanas, a formade pagamento mais utilizada na Europa, pelo menos até aregularização da distribuição do euro. Os deputados francesesvotaram um texto para incitar os bancos a abandonarem comissõescobradas para os pagamentos de pequeno valor, pois os terminaisde distribuição ainda não modificados devem permanecerbloqueados nos primeiros dias do euro.Paciência - A Federação dos Bancos Europeus explica que "o número dedistribuidores não abastecidos tende a diminuir". Nas primeirassemanas de janeiro, porém, os usuários deverão ter paciência,pois poderão ocorrer dificuldades na retirada de dinheiro dealgumas máquinas, sobretudo daquelas localizadas em regiõeslongínquas, reabastecidas apenas uma vez por semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.