Reprodução
Reprodução

Sites fazem 'apagão' e protestos contra projetos antipirataria nos EUA

Google e Wikipédia protestam contra projetos de lei que estão sendo debatidos nos EUA

BBC,

18 de janeiro de 2012 | 09h39

WASHINGTON - Sites como o Google e a enciclopédia online Wikipédia protestam nesta quarta-feira, 18, contra projetos de lei antipirataria que estão sendo debatidos pelo Congresso dos EUA.

 

Os projetos visam combater a troca de conteúdo pirateado na internet, mas, na opinião de críticos, podem limitar a liberdade de expressão na web.

 

A Wikipédia tirou do ar sua versão em inglês - medida que deve durar 24 horas a partir das 3h da manhã, no horário de Brasília - e deixou na página inicial os dizeres: "Imagine um mundo sem conhecimento". O Google não saiu do ar, mas inicialmente colocou uma tarja preta na homepage de seu site americano; depois, postou, abaixo da linha de busca, o link "Diga ao Congresso: Por favor, não censure a internet!".

 

Penas para pirataria

 

Os projetos, que tentam combater especialmente a proliferação de cópias piratas de filmes e programas de TV e outras formas de pirataria de conteúdo midiático em servidores internacionais, propõem penas de até cinco anos de cadeia para pessoas que sejam condenadas por compartilhar material pirateado dez ou mais vezes ao longo de seis meses.

As propostas também preveem punições para sites acusados de "permitir ou facilitar" a pirataria. Estes podem ser fechados e banidos de provedores de internet, sistemas de pagamento e anunciantes, em nível internacional. Em tese, um site pode ser fechado, a pedido do governo dos EUA ou de geradores de conteúdo, apenas por manter laços com algum outro site suspeito de pirataria.

Além disso, o Sopa, se aprovado, também exigiria que ferramentas de busca removessem os sites acusados de pirataria de seus resultados.

Tudo o que sabemos sobre:
piratariaWikipedia, googleleiEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.