Situação estável no Paquistão, diz embaixada brasileira

A embaixada do Brasil em Islamabad, capital do Paquistão, divulgou hoje comunicado informando que a situação de fronteira entre o país e o Afeganistão permanece estável, apesar de as tropas armadas dos Estados Unidos continuarem se concentrando em áreas próximas do território afegão. "A população paquistanesa mantêm-se calma e a ordem interna é completa", diz o comunicado. Segundo a embaixada, está agendada para amanhã uma mobilização dentro do Paquistão em favor da solidariedade, com o objetivo de unificar o país. O comércio e repartições públicas terão seu funcionamento mantido normalmente, informa o comunicado."As demonstrações deverão exprimir a atual política do governo paquistanês, de alinhamento com os EUA no confronto entre este país e o Taleban", diz o documento. "É possível, entretanto, que alguns movimentos fundamentalistas procurem valer-se do dia de solidariedade para criticar o governo paquistanês e manifestar apoio ao Taleban. É possível também que tais tentativas sejam reprimidas pela polícia", ressalva o comunicado da embaixada brasileira, estimando, no entanto, que a ordem pública não deverá afetar o país.No mesmo comunicado, a embaixada brasileira reafirma as declarações do governo paquistanês de que esse país manterá suas relações com o Taleban, garantindo, inclusive, a manutenção de relações diplomáticas com o regime que governa o Afeganistão. "O governo paquistanês também informou que reduziu seu pessoal diplomático no Afeganistão por motivos de segurança, porém manterá seus serviços consulares, indispensáveis à continuação de formas relevantes de intercâmbio, tais como o fornecimento de alimentos", descreve a embaixada.Além disso, a representação do Taleban em Islamabad, reconhecida como Embaixada do Emirado Islâmico do Afeganistão, continuará operando normalmente.Com relação aos brasileiros que vivem no Afeganistão, a embaixada informa que o corpo diplomático prossegue realizando contatos com os cidadãos e que tem verificado que estes se encontram em segurança. "A maioria dos brasileiros tem respondido que pretende continuar no Paquistão, ou que em caso de emergência já dispõe de meios próprios para deixar o país", diz o comunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.