Situação na usina de Fukushima não mudou, diz AIEA

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) disse que nos últimos três dias não houve agravamento da situação na usina nuclear Daiichi, na cidade japonesa de Fukushima, o que dá motivos para otimismo. Em entrevista coletiva na sede da AIEA em Viena, Graham Andrew, assessor especial do diretor-geral da agência, ressalvou que a situação continua a ser muito séria.

AE, Agência Estado

19 de março de 2011 | 14h05

"De uma maneira geral, a situação continua inalterada em relação a ontem", disse Andrew. Segundo ele, as medições de radiação em todas as principais cidades do Japão mostram níveis mais altos do que o normal, mas bastante abaixo dos que poderiam trazer perigos para a saúde da população.

Andrew destacou os progressos feitos nos últimos dias, como a restauração dos sistemas de arrefecimento dos reatores 1 e 2, um passo importante para evitar o derretimento dos núcleos dessas instalações. Ele também disse que foram detectadas elevações de temperaturas nos tanques de armazenagem das varetas de urânio nos reatores 5 e 6. Segundo Andrew, a temperatura da água nesses locais elevou-se em 4ºC nas últimas 30 horas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãoterremotocrise nuclearAIEA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.