Jane Barlow / AP
Jane Barlow / AP

Sky News Brexit-Free, o canal para quem quer fugir das notícias sobre Brexit

Grupo decidiu criar alternativa após pesquisa mostrar que um terço dos britânicos evitam o assunto em razão do processo interminável e caótico de deixar a União Europeia

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de outubro de 2019 | 10h49

LONDRES - O grupo de televisão britânico Sky lança nesta quarta-feira, 16, um novo "canal efêmero" dedicado à cobertura noticiosa de tudo que não seja Brexit, na tentativa de atrair um público totalmente cansado de ouvir sobre o assunto. 

O canal Sky News Brexit-Free foi criado depois de uma pesquisa mostrar que um terço dos britânicos evitam as notícias sobre a separação em razão do processo interminável e caótico de deixar a União Europeia (UE)

Os programas serão transmitidos durante cinco horas por dia, de segunda a sexta-feira. No entanto, o principal canal de notícias da Sky continuará cobrindo o Brexit, em um momento em que Londres e Bruxelas negociam um acordo de divórcio antes da data prevista para a partida no dia 31 de outubro. 

Para Entender

Quais os caminhos para Johnson e para o Brexit com a volta do Parlamento britânico?

Decisão da Suprema Corte fará deputados retomarem atividades três semanas antes do desejado pelo premiê britânico

"O Sky News Brexit-Free é uma abordagem ousada, mas, depois de ouvir a opinião pública durante as últimas semanas e meses, é algo que sabemos que nossos telespectadores acharão valioso", disse John Ryley, diretor do Sky News.

"O novo canal simplesmente oferece às pessoas a opção de descansar do Brexit, aplicar um filtro às manchetes e ouvir questões que nada têm a ver com Westminster e Bruxelas", acrescentou. 

Saída conturbada e confusa

Os britânicos decidiram em 2016 por plebiscito, com 52% dos votos, deixar a UE no fim de uma campanha por vezes acusada de ofuscar a verdade e semear a divisão social.

Mas a repetida rejeição do Parlamento ao acordo de divórcio assinado em novembro pela então primeira-ministra, Theresa May, forçou o adiamento da partida - planejada para março de 2019 - e mergulhou o país na incerteza e em uma profunda crise política. 

A Sky News já foi controlada pelo magnata da mídia Rupert Murdoch, mas atualmente é administrada pelo canal a cabo americano Comcast. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.