Snowden está disposto a depor na Alemanha sobre espionagem dos EUA

Ex-técnico da NSA pode contribuir com investigações, mas não pode deixar a Rússia

O Estado de S. Paulo,

01 de novembro de 2013 | 11h58

Edward Snowden, o ex-técnico da Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos que revelou vários programas de espionagem, está disposto a depor como testemunha perante a Justiça e o Parlamento da Alemanha, informou o jornal alemão "Süddeutsche Zeitung".

Snowden, que se encontra asilado em Moscou, respondeu favoravelmente ao convite do membro da comissão de segredos oficiais do Parlamento alemão, Hans-Christian Ströbele, do Partido Verde, que o visitou em Moscou.

Segundo Ströbele, "Snowden está são e com bom aspecto" e "deixou claro que sabe muita coisa". Além disso, o parlamentar disse que Snowden lhe entregou uma carta para o governo alemão, o Bundestag e a Procuradoria Geral. O ex-técnico da NSA disse a Ströbele, no entanto, que por ter tido o passaporte cassado não poderá depor pessoalmente.

Alemanha e EUA têm um acordo de extradição assinado e Washington já enviou ao governo alemão de forma preventiva uma solicitação de extradição de Snowden. Uma alternativa simples, esclarece o "Süddeutsche Zeitung", seria um depoimento a distância, desde Moscou, como propôs o próprio Ströbele na reunião.

Outra, lembra o jornal, factível, mas mais complexa legal e diplomaticamente, seria a concessão a Snowden de uma permissão de residência para "salvaguardar os interesses políticos da Alemanha".

A reunião entre Snowden e Ströbele transcorreu entre fortes medidas de segurança, e o parlamentar alemão foi levado por agentes secretos em um veículo com vidros escuros de seu hotel até o lugar onde se encontra o ex-técnico da NSA.  /EFE

Interseção: Espionagem, a importância da cooperação internacional

Mais conteúdo sobre:
AlemanhaEdward Snowden

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.