Reuters
Reuters

Snowden ficará em Moscou até seu status ser legalizado, diz governo russo

Pai do ex-técnico da CIA afirma que filho pode retornar aos EUA sob determinadas condições

O Estado de S. Paulo,

28 Junho 2013 | 11h06

MOSCOU  - O ex-técnico da CIA Edward Snowden, acusado de vazar para a imprensa informações sigilosas do governo americano, permanecerá na zona de passagem do aeroporto moscovita de Sheremetyevo até que seu status seja legalizado e o problema de sua documentação resolvido, afirmou nesta sexta-feira uma fonte anônima russa citada pela agência Interfax. Nos EUA, seu pai disse estar razoavelmente confiante de que ele voltará ao país, desde que sejam respeitadas determinadas condições.

"Neste momento, a postura extraoficial da autoridades russas se reduz à seguinte: Moscou não tem nada a ver com o fugitivo americano. Também não há motivos para adotar contra ele medidas repressivas, como a deportação", disse a fonte, que foi descrita pela Interfax como "conhecedora da situação".

A fonte disse que essa postura será mantida pelo menos até que seja feito um pedido oficial dos Estados Unidos formalizado pela Secretaria de Justiça americana. A fonte assinalou que os americanos, de maneira consciente, puseram Moscou em uma situação complicada ao não avisar oportunamente  sobre a anulação do passaporte do ex-colaborador da CIA.

"As autoridades russas foram informadas duas semanas depois que foi tomada a decisão de retirar o passaporte de Snowden. Se fôssemos informados antes, é provável que Snowden não tivesse voado para Moscou e toda esta história não teria acontecido", acrescentou. O governo russo deve esperar que o Equador ou Venezuela concedam asilo, e então (Snowden) abandonará legalmente o território russo sem atravessar a fronteira.

Condições. Nos Estados Unidos, o pai de Edward Snowden disse à rede de TV NBC news que o filho pode que sejam respeitadas determinadas condições, entre elas a não detenção do ex-técnico da CIA antes do julgamento. O pai de Snowden planeja expor essas condições em uma carta ao secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, a ser enviada por meio de seu advogado ainda nesta sexta-feira.

O pai de Snowden, a certa altura da entrevista exibida pela NBC no programa "Today Show" desta sexta-feira, também se disse preocupado que seu filho esteja sendo manipulado por outros, incluindo pessoas do WikiLeaks.

Snowden fugiu dos Estados Unidos para Hong Kong em maio, poucas semanas antes da publicação nos jornais Guardian e Washington Post de detalhes fornecidos por ele sobre um programa secreto de vigilância de Internet e tráfego de telefone por parte do governo dos EUA.

Mais conteúdo sobre:
Edward Snowden

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.